A contribuição do potencial terapêutico da ioga em tempos de COVID-19

  • Narottam Sócrates Garcia Chumpitaz Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil
  • Emille Magalhães Neves Campos Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil
  • Jhon Andreo Almeida dos Santos Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil
  • Giovanni de Souza Mota Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil
  • Francisco Carlos Carneiro da Silva Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil
  • Karine Kersting Puls Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS, Escola de Medicina, Porto Alegre, RS, Brasil
Palavras-chave: Ioga, Saúde Mental, Isolamento Social, Infecções por Coronavírus

Resumo

A pandemia provocada pelas infecções por coronavírus trouxe uma nova realidade e perspectiva de vida à humanidade. O isolamento social, nunca estendido por tanto tempo e simultaneamente por todo o mundo, tornou-se essencial para evitar a superlotação da rede pública de saúde, a qual já é colapsada pelo crescente número de hospitalizações. Proveniente dessa miríade de acontecimentos contemporâneos, originou-se uma problemática inesperada adjacente à pandemia: a comunidade científica mundial está focada, predominantemente, no patógeno SARS-CoV-2 e em seu risco biológico, num esforço para compreender os mecanismos fisiopatológicos envolvidos e estagnar a disseminação da doença. Em razão disso, a saúde mental individual foi posicionada em um plano secundário, principalmente em relação aos meios como cada indivíduo enfrenta o distanciamento social. Não obstante, neste texto, busca-se fomentar e divulgar o amplo efeito terapêutico da ioga em tempos de COVID-19 sobre a saúde mental, que favorece a conexão mente-corpo, o qual desencadeia reações fisiológicas notáveis, por exemplo, a liberação de neurotransmissores de relaxamento e prazer, a ação no eixo hipotalâmico-pituitário-adrenal e liberação de fatores neurotróficos. Intrínseca a essa atividade, estão o relaxamento das emoções, o controle do humor, e o autoconhecimento, ao passo que todos esses aspectos trabalham tanto funções físicas, quanto psicológicas. O principal objetivo deste trabalho é o conhecimento de tal terapia potencialmente benéfica, pois além de ser uma alternativa acessível para prática individual, é um alicerce para o alcance de uma melhor condição física e mental em tempos de COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Narottam Sócrates Garcia Chumpitaz, Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil

Discente do Curso de Medicina da Universidade Federal de Roraima -UFRR, Boa Vista, RR, Brasil

Emille Magalhães Neves Campos, Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil

Discente do Curso de Medicina da Universidade Federal de Roraima -UFRR, Boa Vista, RR, Brasil

Jhon Andreo Almeida dos Santos, Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil

Discente do Curso de Medicina da Universidade Federal de Roraima - UFRR, Boa Vista, RR, Brasil

Giovanni de Souza Mota, Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil

Discente do Curso de Medicina da Universidade Federal de Roraima -UFRR, Boa Vista, RR, Brasil

Francisco Carlos Carneiro da Silva, Universidade Federal de Roraima - UFRR, Centro de Ciências da Saúde, Boa Vista, RR, Brasil

Médico Clínico Geral pela Universidade Federal de Roraima, tendo trabalhado como Assistente em Saúde Sexual e Reprodutiva no Fundo de Populações das Nações Unidas e como staff Médico do Médicos Sem Fronteiras.

Karine Kersting Puls, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS, Escola de Medicina, Porto Alegre, RS, Brasil

Médica de Família e Comunidade em São Pedro da Serra - RS, membro do WONCA Working Party on Rural Practice (RuralWONCA) Council e Rural Seeds Ambassador

Referências

World Health Organization, Regional Office for Europe. Mental health and COVID-19. [c2020; citado 27 jun. 2020]. Disponível em: http://www.euro.who.int/en/health-topics/health-emergencies/coronavirus-covid-19/novel-coronavirus-2019-ncov-technical-guidance-OLD/coronavirus-disease-covid-19-outbreak-technical-guidance-europe-OLD/mental-health-and-covid-19

Ornell F, Schuch JB, Sordi AO, Kessler FHP. "Pandemic fear" and COVID-19: mental health burden and strategies. Braz J Psychiatry. 2020;42(3):232-5. https://doi.org/10.1590/1516-4446-2020-0008.

Peeri NC, Shrestha N, Rahman MH, Zaki R, Tan Z, Bibi S, et al. The SARS, MERS and novel coronavirus (COVID-19) epidemics, the newest and biggest global health threats: what lessons have we learned? Int J Epidemiol. 2020;49(3):717-26. https://doi.org/10.1093/ije/dyaa033.

Malta M, Rimoin AW, Strathdee SA. The coronavirus 2019-nCoV epidemic: Is hindsight 20/20? EClinicalMedicine. 2020;20:100289. https://doi.org/10.1016/j.eclinm.2020.100289. eCollection 2020 Mar.

Adhikari SP, Meng S, Wu Y-J, Mao Y-P, Ye R-X, Wang Q-Z, et al. Epidemiology, causes, clinical manifestation and diagnosis, prevention and control of coronavirus disease (COVID-19) during the early outbreak period: a scoping review. Infect Dis Poverty. 2020;9(1):29. https://doi.org/10.1186/s40249-020-00646-x.

Shigemura J, Ursano RJ, Morganstein JC, Kurosawa M, Benedek DM. Public responses to the novel 2019 coronavirus (2019-nCoV) in Japan: mental health consequences and target populations. Psychiatry Clin Neurosci; 2020;74(4): 281-2. https://doi.org/10.1111/pcn.12988.

Xiang YT, Yang Y, Li W, Zhang L, Zhang Q, Cheung T, et al. Timely mental health care for the 2019 novel coronavirus outbreak is urgently needed. Lancet Psychiatry. 2020;7(3):228-9. https://doi.org/10.1016/S2215-0366(20)30046-8.

Sharp J. Coping with coronavirus anxiety. Harvard Health Blog. 2020 Mar 12 [citado 27 jun. 2020]. Disponível em: https://www.health.harvard.edu/blog/coping-with-coronavirus-anxiety-2020031219183.

Ministério da Saúde (BR). Práticas Integrativas e Complementares (PICS): quais são e para que servem. [s.d.] [citado 27 jun. 2020]. Disponível em: https://saude.gov.br/saude-de-a-z/praticas-integrativas-e-complementares.

Galvanese ATC, Barros NF, D’Oliveira AFPL. Contribuições e desafios das práticas corporais e meditativas à promoção da saúde na rede pública de atenção primária do Município de São Paulo, Brasil. Cad Saude Publica. 2017;33(12):e00122016. https://doi.org/10.1590/0102-311x00122016.

Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Nota Técnica 02/2018. Yoga na Rede de Atenção à Saúde. [Porto Alegre]: Departamento de Ações em Saúde Política Estadual de Práticas Integrativas e Complementares; 5 jun. 2018 [citado 27 jun. 2020]. Disponível em: https://atencaobasica.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201808/24173406-nota-tecnica-02-2018-yoga.pdf.

Barros NF, Siegel P, Moura SM, Cavalari TA, Silva LG, Furlanetti MR, et al. Yoga e promoção da saúde. Cienc Saude Colet. 2014;19(4):1305-14. https://doi.org/10.1590/1413-81232014194.01732013.

Brown C. A Bíblia do yoga: o livro definitivo em posturas de yoga. São Paulo: Pensamento; 2009.

Tillu G, Chaturvedi S, Chopra A, Patwardhan B. Public Health Approach of Ayurveda and Yoga for COVID-19 Prophylaxis. J Altern Complement Med. 2020;26(5):360-4. https://doi.org/10.1089/acm.2020.0129.

Morgan N, Irwin MR, Chung M, Wang C. The effects of mind-body therapies on the immune system: meta-analysis. PLoS One. 2014;9(7):e100903. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0100903. eCollection 2014.

Nascimento MVN, Oliveira IF. As práticas integrativas e complementares grupais e sua inserção nos serviços de saúde da atenção básica. Estud Psicol (Natal). 2016;21(3):272-81. http://dx.doi.org/10.5935/1678-4669.20160026.

Balasubramaniam M, Telles S, Doraiswamy PM. Yoga on our minds: a systematic review of yoga for neuropsychiatric disorders. Front Psychiatry. 2013;3:117. http://dx.doi.org/10.3389/fpsyt.2012.00117. eCollection 2012.

Keyloun KR, Hansen RN, Hepp Z, Gillard P, Thase ME, Devine EB. Adherence and persistence across antidepressant therapeutic classes: a retrospective claims analysis among insured US patients with major depressive disorder (MDD). CNS drugs. 2017;31(5):421-32. http://dx.doi.org/10.1007/s40263-017-0417-0.

Xiong G, Doraiswamy PM. Does meditation enhance cognition and brain plasticity?. Ann N Y Acad Sci.2009;1172(1):63-69. http://dx.doi.org/10.1196/annals.1393.002.

Streeter CC, Gerbarg PL, Saper RB, Ciraulo DA, Brown RP. Effects of yoga on the autonomic nervous system, gamma-aminobutyric-acid, and allostasis in epilepsy, depression, and post-traumatic stress disorder. Med Hypotheses. 2012;78(5):571-9. http://dx.doi.org/10.1016/j.mehy.2012.01.021.

Publicado
28-10-2020
Como Citar
1.
Sócrates Garcia Chumpitaz N, Magalhães Neves Campos E, Andreo Almeida dos Santos J, de Souza Mota G, Carlos Carneiro da Silva F, Kersting Puls K. A contribuição do potencial terapêutico da ioga em tempos de COVID-19. J Manag Prim Health Care [Internet]. 28º de outubro de 2020 [citado 28º de novembro de 2020];12:1-11. Disponível em: https://www.jmphc.com.br/jmphc/article/view/1016
Seção
Dossiê especial: Pandemia coronavírus, política e Atenção Primária à Saúde (APS)